Mostrando postagens com marcador pássaros. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pássaros. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Será uma Saíra Turquesa?

Não sei qual teu nome exato, mas quando meu olhar passou por ti no meio de todo aquele verde igual,
mesmo estando longe, chamou-me a atenção... não sei exatamente "quem"  tu és, mas vi tua beleza...


Fotos: Vera Alvarenga

sábado, 19 de outubro de 2013

Viemos para o café...

 Nós também viemos para o café...
 mas aquele Sabiá Laranjeira está se julgando o dono do pedaço e espanta os outros convidados!

Fotos: Vera Alvarenga

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Chegando para o café

 
Vim para o café...
Eu também...
- Então tá... E você, não vem?

Fotos: Vera Alvarenga

terça-feira, 2 de abril de 2013

Tinham a mesma natureza...

lembrou-se daquele pássaro amarelo que um dia, chegou tão próximo a si, que quase pode tocá-lo





Fotos: Vera Alvarenga 


terça-feira, 12 de março de 2013

Um novo visitante...

 A primeira vez que o vi fiquei
surpresa e maravilhada.
 Tão lindo, deve ser uma Saíra... e
aqui, solto no meu terraço!

 Por uma semana ele nos visitou...

 Não voltou mais... o que terá acontecido com ele?

  De qualquer modo, adorei a visita.


Texto e foto:Vera Alvarenga

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Interpretações....

  Todas as manhãs e às tardes também  pequenos pássaros cantantes vem
felizes, comer frutas no meu terraço.
  Interpretam suas canções, cada um a seu modo.
  São os assim chamados : "sanhaço" .
Há o sanhaço azul, e o verde,
dependendo das cores que tem.
Tão habituada estou com eles
que ao ver de longe as asas
verdes do sanhaço, já sei
que vou ouvir seu canto,
o mais delicado, no meu terraço.


A natureza faz surpresas.
E nos ensina, basta olhar...
Dos pássaros que aqui vem,
hoje digo, com certeza,
- "nem todo pequeno alado
de tom esverdeado
é um sanhaço..."
   E isto me faz lembrar...
- "nem todo aquele que cala,
 consente..."
- "nem toda aquela que duvida,desmente..."
- "nem toda palavra tem o significado exato que interpretamos, quando não  fomos nós que a dissemos..."

Há de se ter o espírito aberto para se aprender, sempre.
E tolos são os que se ofendem porque alguém lhes pergunta o que querem dizer....
Afinal, nem tudo que parece, é.
Não é?

Fotos e texto: Vera Alvarenga.


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Meu novo vizinho tem topete!...


 Este meu novo vizinho
 tem vindo me visitar
 para um lanchinho rápido.
 Tem topete este cara!
 Não se demora,
 toma sua refeição,
 e vai logo embora!


 
 É meio agitado e
 parece mal humorado
 mas não é não! é simpático,
 embora pareça bravo,
 eu não ligo, pois comigo
 é todo gentil..só coração!
 Olha bem pra ele,
 não te parece que tem
 olhar de menino levado?
 Impossível não lhe querer bem!


Fotos -versinhos:Vera Alvarenga

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Meus convidados no Ano Novo...

Como sabem, mudei-me de cidade antes do Natal.
E hoje venho aqui para desejar aos amigos um maravilhoso ano de 2012, com Saúde, disposição, sucesso, coragem e determinação, além é claro do amor, indispensável para os momentos de felicidade e da fé em Deus, indispensável para pensarmos que há um significado para tudo, mesmo que não possamos compreender.
Agora moro novamente em São Paulo, onde nasci.
Estava com medo de voltar a morar aqui afinal, o trânsito, barulho e energia desta cidade agitada não combinam mais com o ritmo de vida que quero pra mim agora.
 Sempre que posso, assim que me vejo dentro de um "barco", procuro colocar os dois pés dentro e o melhor lugar para sentar-me, a fim de tirar proveito da viagem.
Foi assim que agarrei as chances e me coloquei num lugar agradável para morar,onde as árvores me trazem a visita dos meus amigos pássaros que, alados como eu, procuram voar em busca de seus momentos de felicidade.
E foi com alegria que eu recebi meus primeiros visitantes : O Sanhaço, a Cambacica, O Bem-te-vi e o Sabiá Laranjeira.

Com sorte, um dia ainda receberei também a visita do meu pássaro dourado, que trará em suas asas, de novo, pólen de dourado brilho junto com os raios de sol, que iluminarão ainda mais as minhas manhãs.

De qualquer modo, embora esteja novamente nesta cidade de concreto, as árvores estão mais próximas a mim, neste bairro que as preservou e eu me sinto feliz e grata por isto.

FELIZ 2012 PARA TODOS NÓS!!
Texto e fotos: Vera Alvarenga.

sábado, 12 de novembro de 2011

Se não cuidarmos, o vento destrói os jardins...

Há 15 anos tenho morado em casas com quintais.
Os quintais são espaços que tenho encontrado vazios.. a gente transforma e cuida, planta e um dia, floresce, dá frutos. É  como relacionamentos importantes na vida.
Ah! dá trabalho, mas vale a pena!
A gente cria um vínculo de amor e bem-estar neste ambiente mágico.
Basta sair lá pra fora, entrar em contato, e a gente fica feliz. Adorei todo tempo que passei nos quintais...quando a gente ama ou gosta, é claro que a gente cuida...
E, sempre há os passarinhos...
Mas e aí? e quando uma mudança inevitável tem de acontecer?
Bem, há várias saídas, como pra tudo que a gente ama e tem que se afastar...
1. A gente pode levar as plantas junto...

2. Quando isto é impossível, a gente fica só com as lembranças boas. É frustrante, se a gente não puder reconstruir o que nos dava prazer e alegria em outro espaço, recomeçar de outra forma.

3. Pra não sentir falta a gente usa uma defesa...ou se desliga porque sabe que leva o amor pela criação e vai criar outro no lugar em que a gente vai ou...
   A gente transforma o jardim antes - o ambiente então volta a ser o vazio que a gente encontrou antes. Ou o próprio ambiente se deixa transformar, vencido pela ação do tempo que traz o vento sul.
Ao olhar para o que voltou a ser vazio e perdeu o sentido, a gente parte sem saudades, aceita o irremediável sem pena, porque não há mais nada ali do que a gente amava. Às vezes, se destrói antes de partir.
Passamos a pensar que esta perda faz parte da vida.
Podemos pensar que o que deixamos para trás não nos fará falta...
Mas há pessoas que sempre vão pensar que poderiam descobrir um modo criativo de preservar o que havia de bom, levando consigo o desejo de reconstruir
Texto e fotos;: Vera Alvarenga




sábado, 22 de outubro de 2011

Gato no telhado!

 Ontem, peguei minha câmera,como sempre, e fui até o quintal. De repente....


No meu telhado, eu o avistei.
Hipnotizado, pulo preparado
para abocanhar o passarinho
que brincava no meu jardim.








Ligeira, num clic, o fotografei.
Com meu coração disparado
me perguntava se o danadinho
teria tanta coragem assim!






Logo, porém, ele me viu.
Ponderou altura, olhou-me, desistiu
de arriscar-se em tal empreitada
e foi procurar outra guloseima.












Respeito à natureza, é meu lema,
mas fiquei feliz ao constatar:
- No jardim se mantém a beleza
do alegre passarinho a cantar.







Crônica Fotográfica - Gato no telhado.
Fotos e versos: Vera Alvarenga

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Asas escondidas...

Primavera começando.
Pássaros alegres no meu terraço.
Eu, cabeça cansada, mente preocupada, motivo nenhum para reclamar, e nem para emocionar a que, em mim, esconde asas há algum tempo já.
Então peguei máquina fotográfica e fui, seguindo o instinto, de encontro aos que tem asas pra voar.
Logo que cheguei, por sorte ninguém ali, a não ser eu e eles. Fiquei calada, pois é assim que me encontro. E um sabiá se aproximou. Sem medo, talvez porque me reconheça,de algum modo.

 Fiquei quieta, observando, no silêncio.
 Me senti em paz. Tão lindas asas. Tão lindos pássaros cuja única preocupação é agora fazerem seus ninhos e se acasalar.
Tantas cores ali surgindo no meio das folhas, e escondendo-se nos galhos da amoreira...quando entrava mais alguém.
Então eu o vi! mas fiz que não. Por pouco tempo, pois logo me rendi à minha adoração inconsciente, inconsequente, inconsistente, irremediável, inconcebível, torturante, apaixonante...
Que lindo! " Empresta-me tuas asas! ou me lembra das minhas, quero voar contigo!"  Pensei.
 Quando outras pessoas entraram fazendo barulho, todos eles alvoroçados se escondiam no meio das árvores. Quando voltei a ficar sozinha, e quieta, ele se aproximou.
 Chegou bem perto. Não sei o que acontece comigo, não consegui calar-me! Docemente o chamei e falei com ele... e ele parecia me ouvir.
 Não! certamente é a saudade inconsciente que sinto daquele outro que antes vinha à minha janela, que me faz imaginar que este, de algum modo, me reconhece.

Ele se aproximou mais, só para brincar comigo, talvez, só para me mostrar que a gente não sabe mesmo o que é razoável esperar de seres alados.
Então, olhou sério, bem nos meus olhos e acho que resolveu me dar uma chance...rs....

Eu estava encantada, enfeitiçada, tremia um pouco de emoção. Algumas fotos ficaram tremidas.
O que mais ele iria fazer agora?





Deu-me as costas para mostrar-me o quanto confiava em mim.
Chamou os amigos, que, para espanto meu, vieram!








Logo eram 3, bem ali na minha frente.

E eu falei com eles.

Depois se foram. Eu estava ternamente agradecida por aquele contato, embora isto tenha me feito lembrar do outro. Mas sorri.

Me despedi dele. Alguém mais entrou. Ele se foi, passando antes, bem perto de mim, tão perto, como se pudéssemos ter nos tocado, se quiséssemos.

Fotos e crônica fotográfica: Vera Alvarenga


terça-feira, 23 de agosto de 2011

Momentos Perfeitos- o que são?

Eu sei que perfeição não existe!
Contudo, em minha vida, se eu quiser, encontro um milhão de momentos perfeitos.

E tenho muitas maneiras diferentes de interpretar o que são estes momentos..

Esta mosca azul, por exemplo, não
estaria ao meu alcance no próximo instante...e não parece uma jóia?!



Momentos perfeitos, eu os quero ter em minha vida!
Serão momentos, terão curta duração, mas uma porção deles me fará feliz e preencherá minha vida com boas lembranças/sentimentos.

Momentos perfeitos, aqui, são aqueles em que
pude captar com meu olhar e câmera, o que
no próximo instante não estaria mais ali...a técnica de imagem não é perfeita, mas o momento sim.



Quanto dura um momento perfeito, pra mim?


Quanta alegria ou emoção ele pode nos trazer?

e surpresa, e ternura, e docilidade para alma?









O que representará para o meu olhar, o momento
em que um pássaro dourado vier pousar em minha
janela?
 E na minha vida, que diferença isto fará?

Se eles se tornam meus amigos e retornam, quantos
momentos multiplicados eu terei ?
Quando digo que quero atenção e carinho, estou
aberto para recebe-los, quando a vida me traz isto?


Ah, mas eles retornam apenas pelo que eu posso
lhes dar?
E não é assim mesmo que se constrói um relacionamento?

com as alegrias das trocas?




Pode-se construir uma vida inteira... com momentos

perfeitos, não com a perfeição das coisas ou

pessoas....Podemos descobrí-los e os eternizar,

não porque durarão eternamente, mas quando,

pela atenção e cuidado cultivarmos sua

existência, dando-lhes chance de se repetirem...





Quantos momentos perfeitos meus olhos e
meus sentidos querem e podem captar?


Quantos momentos meus, posso oferecer a você,
e quão perfeitos eles podem ser, se estivermos
disponíveis para olhar com atenção, amor e trocar o que tivermos de bom para oferecer?



Crônica Fotografica- Momentos Perfeitos, o que são?
Texto e fotos: Vera Alvarenga

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Existe Sanhaço Verde?

    Como são lindos estes pássaros que vem à minha janela do escritório!

    Eles vem ao terraço onde colocamos um comedouro com frutas para eles.


   Sanhaços Azuis é o que são.







   Alguns são mais acizentados.
 
   São mansos e educados. Esperam os outros pássaros saírem, quando tem outros maiores ou de outra espécie, e depois vem.
   Eu os adoro soltos, assim.
   Na gaiola não vejo graça,nem sentido!
   Confesso que, em um viveiro grande onde possam viver seguros e em paz, acho legal, como vi no zoológico de Sorocaba.



   Este é mais tímido, mais desconfiado e arisco.

   Também o chamo de Sanhaço Dourado ou laranja.

   Como gosto de vê-los voar, em liberdade... e
mesmo assim, vir me visitar....rs......



 




 Mas, para surpresa minha, apareceu um hoje
 VERDE!

  Isto mesmo, não era Periquito, nem Papagaio...rs..

  Um Sanhaço Verde! Será possível?

  Olhem bem,na próxima foto! é verde mesmo!





Lindo, não é?
Fotos e texto : Vera Alvarenga

Compartilhe com...